Vídeo: Bastidores DVD Acústico Jota Quest

Banda mineira faz registro usando as consoles L500 da Solid Stage Logic

Compartilhe

Receba nossa newsletter
Dezembro/Janeiro 2017 Edição do Mês

Por Flávio Bonanome


Com mais de vinte anos de estrada e conhecida pela sua música pop dançante com um forte groove da funk music, a banda mineira Jota Quest desembarcou em maio em São Paulo para uma experiência diferente. Em uma atmosfera intimista com uma plateia de convidados, o grupo gravou seu primeiro DVD Acústico, com diversas releituras de seus sucessos com uma pegada mais "light".

"Sem sombra de dúvida é um grande desafio para a banda, desde a construção de um kit de bateria com sonoridade específica, teclados vintage como Wurlitzers e Hammonds e a troca das guitarras pelo violão", explica Rodrigo Aires, o Grilo, técnico de estúdio da banda. Grilo acompanhou o grupo durante o processo nos estúdios Quanta na Capital Paulista para garantir uma certa coesão no processo, apesar do trabalho fora do padrão.

Consoles Solid State Logic L500 foram usadas no PA, Monitor e Gravação

Pilotando a gravação estava Ronaldo Lima, que veio do Rio de Janeiro à pedido do próprio Liminha, produtor do disco, para fazer o trabalho. "A ideia aqui é preservar o acústico, por isso estamos captando o som dos instrumentos quase em sua totalidade usando microfones e desprezando as saídas de linha", explica. Para garantir um áudio de extrema qualidade e conseguir controlar o ganho de palco com precisão, a escolha de Lima recaiu sobre uma série de quase 30 unidades de microfones DPA.

Somando-se os microfones com as entradas em linha, usadas principalmente para o trabalho de monitor e PA do show, o sistema estava recebendo 96 entradas, todas sendo enviadas diretamente para os pré-amplificadores das consoles Solid State Logic L500. Ao todo, foram usadas três mesas (Gravação, Monitor e PA) e dois grupos de três unidades cada separadas de Stage Boxes ML-3232. 

"Os DPA são os melhores microfones para este tipo de captação acústica", afirmou Ronaldo Lima

Os racks de entrada foram configurados de forma que todo o sinal gerado no palco era enviado para uma unidade de StageBoxes que estava servindo diretamente à console de gravação. Estas Stageboxes, por sua vez, enviavam o sinal diretamente para outra unidade de stageboxes (diretamente da entrada, sem passar por estágio de ganho) que estava sendo divida entre PA e Monitor. "Nós poderíamos ter ligado as três consoles no mesmo grupo de Stageboxes, mas isso significaria que uma única pessoa estaria à cargo da configuração de ganho. Preferimos deixar o ganho da gravação independente do do show propriamente dito para garantir que não teríamos nenhuma surpresa", explicou Kadu Melo, especialista de produtos da fabricante.

Para o DVD, a banda usou um set de instrumentos vintage, como Synths analógicos e Hammonds

Uma vez com os sinais "em mãos", Ronaldo Lima realizava a gravação em redundância: diretamente na console e também enviando para um sistema Pro Tools. Tudo conectado via MADI em Fibra Óptica. "Normalmente você vê técnicos gravando já com algum processamento, mas quando temos este poder de conversão e qualidade sonora que as SSL entregam, preferi gravar tudo limpo e depois processar em ambiente controlado no estúdio", explicou.

Ao término desta reportagem, o DVD a produção ainda não havia decido onde seria realizada a mixagem, se no estúdio do Jota Quest, o Mina de Ferro, ou no estúdio do Ronaldo Lima, o Casa do Mato, ou ainda um terceiro. 

Para mais vídeos como este, acesse nosso canal.

Notícias Relacionadas